Usa Flag / English Version Bandeira do Brasil / Versão em Português
CURRENT MOON
Lua atual
A bela e destacada cratera COPERNICUS.
(créditos: Vaz Tolentino.)

Informações sobre a Foto

A bela e destacada cratera COPERNICUS.

(créditos: Vaz Tolentino.)

Cratera COPERNICUS:

Diâmetro: 96 Km;

Profundidade: 3,8 Km;

Coordenadas Selenográficas: LAT: 09° 42′ 00″ N, LON: 20° 00′ 00″ W;

Período Geológico Lunar: Período Copernicano (1,1 bilhões de anos atrás até os dias atuais).

Melhor época para observação: 2 dias após a fase “quarto crescente” ou 1 dia após a fase “quarto minguante”.

Quem foi Nicolaus COPERNICUS? Astrônomo polonês da renascença (1473 -1543). Combateu o geocentrismo (a Terra como o centro do Universo) formulando o modelo heliocêntrico (o Sol como centro do Universo com Terra e os planetas girando ao seu redor). Em outras palavras, ele “retirou” a Terra do centro do Universo.

A proeminente COPERNICUS é um alvo fácil para telescópios e localiza-se ao sul do Mare IMBRIUM. COPERNICUS é uma espetacular cratera de impacto de morfologia complexa, com cerca de 800 milhões (alguns autores consideram 1 bilhão) de anos (NORTH,2007). Essa proeminente, interessante e jovem cratera possui um dos mais destacados sistema de “raios brilhantes” da Lua, que são trilhas de materiais mais recentes (com alto albedo ou refletividade da luz), criadas por sobre a superfície lunar, a partir dos escombros ejetados pelo enorme impacto que criou COPERNICUS. Os raios brilhantes se estendem por até 700 Km em todas as direções, através dos mares de lava circundantes.

Foto: A proeminente e jovem cratera COPERNICUS, clássica cratera de impacto de morfologaia complexa, com suas paredes internas estruturadas em terraços, fortificação circundante na encosta externa e montanhas no centro do piso. A imagem também apresenta a cratera fantasma STADIUS e cratera ERATOSTHENES. Foto executada por VTOL em 28‎ de ‎junho‎ de ‎2012, ‏‎20:50:20.

COPERNICUS não é uma cratera com o perímetro perfeitamente circular. Na realidade seu aro é angulado e definido por uma sequência de 7 segmentos relativamente retos, formando uma espécie de perímetro poligonal. Os segmentos foram criados pela ação das ondas de choque, durante e imediatamente após a explosão colossal do impacto do asteroide ou cometa que criou a cratera.

Ilustração: Lua cheia mostrando a área de abrangência da foto apresentada de COPERNICUS, ao lado do perfil altimétrico (NASA / LRO QuickMap) da bela cratera, com o traçado SW - NE. Foto e perfil executados por VTOL.

As bordas externas que circundam COPERNICUS formaram uma espécie de encosta “fortificada”, com paredes escarpadas e inclinadas, criadas pelos escombros provenientes do impacto. As paredes internas são notoriamente estruturadas em terraços ou degraus, criados por seções circulares de materiais que deslizaram principalmente logo após o impacto.

O piso interno de COPERNICUS encontra-se 3,8 Km abaixo do topo da borda da cratera e mostra-se plano, porém levemente rugoso, apresentando protuberantes montes quase centrais, com o pico mais alto atingindo cerca de 1.2 Km acima da superfície do fundo da cratera. Montes centrais ascendem no piso interior das crateras, quando as rochas da crosta lunar são excessivamente comprimidas pelos poderosos impactos que as criaram, e reagem com uma espécie de ricochete (ação e reação). Os picos centrais de COPERNICUS contém materiais com origem provável de 5 a 10 Km abaixo da superfície.

Foto: O perfil altimétrico W – E (NASA / LEO QuickMap) da seção da parede interna leste de COPERNICUS, mostrando a estruturação em terraços (como se fossem degraus ou curvas de nível) e o perfil altimétrico no sentido SW – NE (NASA LRO QuickMap) dos picos centrais dessa bela cratera. Foto executada por VTOL em ‎30‎ de ‎maio‎ de ‎2012, ‏‎21:32:44.

Crateras Secundárias:

Os escombros ejetados no grande impacto que escavou COPERNICUS, acabaram por criar na superfície circundante, uma notável cadeia de minúsculas crateras secundárias, localizadas a oeste e a noroeste da cratera fantasma STADIUS de 69 Km de diâmetro (algumas também posicionadas por sobre sua superfície), chegando até a borda sul do Mare IMBRIUM, onde continuam na forma de uma cadeia de crateras justapostas, formando uma espécie de canal. Alguns desses materiais ejetados provavelmente escaparam da gravidade lunar (velocidade de escape da Lua = 2,38 Km/s) e atingiram nosso planeta na forma de meteoritos.

Foto: Pouco antes das fases quarto crescente e quarto minguante, COPERNICUS fica inteiramente preenchida por sombra negra, parecendo um grande buraco sem fundo. A foto mostra também as inúmeras crateras secundárias criadas pelos escombros ejetados pelo impacto que criou COPERNICUS. Foto executada por VTOL em 29‎ de ‎maio‎ de ‎2012, ‏‎20:10:10.

É surpreendente a impressionante quantidade de pequenas crateras secundárias no entorno de COPERNICUS, pois apenas cerca de 2% do volume de rochas lunares que são escavadas na formação de uma grande cratera, conseguem criar crateras secundárias. De modo geral, o material remanescente ou é pulverizado em pedaços pequenos demais para produzirem crateras secundárias, ou então são ejetados com grande velocidade, suficiente para criar sistemas de raios brilhantes com centenas de quilômetros, ou até escaparem da força gravitacional da Lua. Também é quase certo que alguns escombros ejetados pelo impacto que formou COPERNICUS atingiram a Terra na época de sua criação.

Fotos executadas com apenas 1 frame cada (da esquerda p/ direita e de cima p/ baixo):  ‎16‎ de ‎abril‎ de ‎2016, ‏‎19:39:20, ‎28‎ de ‎junho‎ de ‎2012, ‏‎20:50:20, 29‎ de ‎maio‎ de ‎2012, ‏‎20:10:10 e ‎31‎ de ‎maio‎ de ‎2012, ‏‎22:00:02.

Sun

Curiosidades da Gnomônica - ...
Curiosidades da Gnomônica - RELÓGIO DE SOL COM CANHÃO
Curiosidades da Gnomônica - RELÓGIO DE SOL COM CANHÃO Por Nelson Travnik*- nelson-travnik@hotmail.com Nos inúmeros tipos de Relógios de Sol, existe um singular, com poucos exemplares no mundo: ... Leia mais

Curiosidades da Gnomônica - RELÓGIO DE SOL COM CANHÃO Por Nelson Travnik*- ... Leia mais
10/02/2018
Red_moon

Análise Preliminar do Eclipse ...
Análise Preliminar do Eclipse Lunar de 31 de Janeiro de 2018.
Análise Preliminar do Eclipse Lunar de 31 de Janeiro de 2018 Mostra Estratosfera Isenta de Cinzas Vulcânicas Por Helio C. Vital* Além de apreciarmos a beleza encantadora de um eclipse lunar total, existem duas atividades que ... Leia mais

Análise Preliminar do Eclipse Lunar de 31 de Janeiro de 2018 Mostra Estratosfera Isenta de ... Leia mais
10/02/2018
Oba2

OBA - Olimpíada Brasileira de ...
OBA - Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica.
Veja aqui: http://vaztolentino.com.br/secao/50-OBA-2018

Veja aqui: http://vaztolentino.com.br/secao/50-OBA-2018
01/02/2018
S_o

Blog "Sky and Observers" - Fev / ...
Blog "Sky and Observers" - Fev / 2018.
Caros(as) amigos(as), Neste mês estão publicados no Blog "Sky and Observers" os seguintes assuntos: Eclipse: O eclipse Parcial do Sol em 15 de fevereiro 2018! https://goo.gl/sVK5qa ... Leia mais

Caros(as) amigos(as), Neste mês estão publicados no Blog "Sky and ... Leia mais
01/02/2018